domingo, 22 de abril de 2012

DRAGON FLY (LIBÉLULA) GO FLY: Matéria e receita


Texto e fotos: Leandro Vitorino

Predadora voraz, tanto em sua fase aquática (ninfa) quanto em sua fase terrestre (adulta), a libélula (DRAGON FLY) pertence a ordem Odonata,onde existem mais de 4.800 espécies descritas das variadas cores e tamanhos.  
Apesar do parentesco com as libélulas, as donzelinhas (DAMSEL FLY) são uma das presas das libélulas. Essa predação ocorre tanto na água quanto no ar. As libélulas possuem um corpo mais robusto e pousam com as asas abertas, as donzelinhas são mais “magras” e geralmente pousam com asas fechadas.
Ninfa de Damsel fly e à sua frente uma pequena larva
Ninfa de Dragon Fly preparando-se para a eclosão

Donzelinha (Damsel Fly)

Damsel Fly Adulta (Donzelinha)

Dragon Fly (Libélula)

Esses insetos ocorrem em todos os biomas do mundo, e fazem parte do cardápio dos peixes insetívoros, portanto não podemos dispensa-lo em nossa caixa de mosca, não é mesmo?

Aqui no cerrado, as maiores ninfas aquáticas que encontramos são as Hellgramites (DOBSONFLY/FORMIGA LEÃO), em segundo lugar estão as ninfas das libélulas.
As eclosões das libélulas para a fase adulta podem ocorrer todo o ano, mas é nos meses quentes que a vimos com maior frequência. Para fugir dos predadores naturais geralmente eclodem durante a noite, mas podem eclodir durante o dia, o que as tornam presas fáceis.
Flagrei essa Libélula no momento da eclosão, no início da noite, em cima da minha roupa de mergulho que estava no barco
É comum encontrarmos cascas de libélulas que eclodiram na noite anterior 
 As adultas gostam muito de ficar pairando sobre a água, sobretudo em locais onde a água corre mais lentamente ou em poços. Tem hábitos diurno e eventualmente crepuscular. Os peixes geralmente as atacam quando vão depositar seus ovos nas água. Ela também é alimento para outros animais.
As libélulas que eclodem durante o dia possuem mais predadores à espreita

Quando as libélulas pousam nas pedras são alvos fáceis para essas aranhas, capazes de capturar até girinos e pequenos peixes
 RECEITA
Existem inúmeras receitas de Dragon fly, tanto de suas ninfas quanto de suas formas adultas (aladas).

 À esquerda uma libélula atada com pêlo e EVA, ao meio uma ninfa e à direita uma feita exlusivamente com pêlo e legs de borracha

Preferi atar a forma adulta pela grande apreciação que tenho pelos ataques na superfície e pela grande produtividade que possuímos com essas moscas durante o vadeio no cerrado.

Atamos e testamos várias receitas de DRAGON FLY adulta, algumas feitas exclusivamente de pêlos, umas de EVA e outras mistas (EVA e pêlo). As moscas de pêlo, como sempre, adicionam charme e tradicionalismo no atado, mas é com os EVAs e outros materiais sintéticos que as libélulas se tornam mais versáteis e realistas.
A receita que apresentaremos e que entendemos ser bem funcional é a libélula com corpo de EVA e asas de espuma sintética. Após atar pelo menos umas vinte unidades dessa mosca, concertando erros e inserindo detalhes aero e hidro dinâmico, chegamos nessa mosca aqui:

Vamos à receita...

INSTRUMENTAIS E MATERIAIS:


1- Morsa Monroy Green

2-Bobina

3-Finalizador de nó

4-Tesoura
5- ANZOL de haste curta, fina e com Gap largo. Para Pirapitinga usei o TIEMCO #8, modelo 100 (para Dry Fly)

6- FIO DE ATADO: utilizei o Danville’s  

7- EVA: placas finas compradas em papelaria, de várias cores diferentes

8- COLA: uso Super Bonder

9- ASAS (material alternativo): feitas de espuma sintética (essas que envolvem produtos digitais). Escolha uma mais firme.

10- Caneta para CD/DVD
11- Pernas de borracha médias ou grossas (vai depender do tamanho da mosca)
 

PASSO A PASSO:


CONFECÇÃO DO CORPO DE EVA:



Corte duas tiras de EVA, uma mais fina (para o abdome) e outra mais grossa (para a cabeça e tórax);
 



ABDOME



Ate o fio de atado no sentido olho-gap e leve-o até o nível da ponta do anzol:



Fixe a tira fina de EVA, o que representará o abdome da mosca:




ASAS


Primeiro, ate a tira grossa de EVA:




Recorte uma tira espuma (material alternativo) de 2 cm de largura e 10 cm de comprimento. Escolha uma espuma mais firme. Recorte-a ao meio, das extremidades ao centro, mas sem à separar completamente, como na foto:




Dobre a espuma ao meio e ate-a na transição entre o abdome e o tórax da mosca:




CABEÇA



Avance com o fio de atado chegando próximo ao olho e fixe a tira fina de EVA, a parte que ficou para frente representará a boca da libélula:




Em seguida fixe a tira grossa no mesmo local:




Dobre a tira grossa para trás e ate-a, dando o formato da cabeça da libélula:




TÓRAX



Retorne com o fio de atado para atrás das asas e ate a tira grossa de EVA, dando origem ao tórax da mosca:




Corte os excessos que ficaram atrás do tórax:




PERNAS



Retorne com o fio de atado até a transição entre a cabeça e o tórax

Fixe um par de LEGS grossas de borracha e finalize com a ferramenta de finalização



ACABAMENTO:



CORTES:

Corte o EVA da cabeça da mosca no meio, dando um formato dos olhos da libélula:



Corte as pontas das asas dando um formato arredondado:



PINTURA:

Pinte listras finas no abdome:



Pinte duas manchas na borda frontal de cada asa, simulando as manchas naturais de uma libélula:



Pinte o tórax da mosca:



Pinte os olhos da mosca:




ADICIONANDO AERO E HIDRODINÂMICA:


Posicione as asas em forma de leque e passe cola entre elas e fixe-as entre si apenas próximo a base:






Passe cola na parte superior da base das asas junto ao EVA, bilateralmente:



                  Em seguida, empurre as asas para cima num angulo de 45 graus com o corpo da mosca até a cola secar:


Após a secagem, o angulo deverá estar em +- 30 graus com o corpo da mosca. Essa colagem dará uma inclinação superior a asa que estabilizará a mosca em sua aerodinâmica, fazendo com que ela pouse corretamente. Também auxiliará na sua hidrodinâmica, mantendo a mosca em flutuação mesmo quando é puxada com vigor.



Cole a parte debaixo do corpo da mosca, fixando-a melhor o EVA no anzol:


Finalizamos assim mais uma mosca GO FLY de aparência realista, resistente e efetiva na captura de alguns peixes, como brycons, blacks, pacus, trutas, aruanãs, entre outros.


Variações de cores e pinturas apoximam o atado da realidade
Acredito que essa mosca tenha potencial para contribuir na pesca com mosca em vários biomas do mundo, trazendo alegria aos mosqueiros.
Apresentamos mais uma mosca GO FLY: a DRAGON FLY GO FLY


6 comentários:

  1. Caro Leandro, nota MIL!
    Está simplesmente sensacional o trabalho que vocês, do GoFly, tem realizado. Meus mais efusivos parabéns. PROSSIGAM!
    Linhas tensas e um abração desde o Acre (estado que faz fronteira com três países-BR, BOL e PE)!
    João Nicácio (FFB)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradecemos a visita amigo João!
      Obrigado pelo apoio continuo!
      Att,
      Leandro

      Excluir
    2. Leandro,

      Esse teu trabalho é mesmo fabuloso e contagiante. Cada vez que leio suas matérias tenho me atraído mais por esta modalidade. Vou amadurecer a idéia e conhecer um pouco mais sobre a pesca com mosca, pois sou forte candidato a implementar este estilo ao meu curriculum.

      Meus Parabéns!!!

      Excluir
    3. Obrigado amigo Reutson,
      Novas clínicas de pesca com mosca GO FLY virão e será um grande prazer tê-lo como nosso convidado!
      Seja sempre bem vindo!
      Att, Leandro

      Excluir
  2. muito bom GOFLY.
    cheguei a ver algumas destas maravilhas ao vivo na clinica. com muito entusiasmo cheguei em casa e comecei a fazer alguns testes, ficaram parecidas, porem me esqueci dos detalhes da aero e aquadinamica das libélulas, agora com estas dicas vão ficar perfeitas.
    parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beleza amigo Lucas!
      Siga a receita na íntegra que dará certo.
      Qquer descoberta na mudança da receita que melhore, nos informe por favor, ok!
      Abração!
      Leandro

      Excluir